A Irmã da Tempestade - Lucinda Riley

Leitura Romance café -
A Irmã da tempestade 

Agora, vamos mergulhar no segundo livro dessa série incrível, que é de causar arrepios (não de medo, mas devido às muitas emoções descritas em cada história da família D’Aplièse).




Leitura Romance café -
A Irmã da Tempestade 

Título Original:  A Irmã da Tempestade 
Autor: Lucinda Rile2015
1844
Editora: Arqueiro
Páginas: 528
Categoria: Romance | Fantasia


SINOPSE
Em A irmã da tempestade, segundo volume da série As Sete Irmãs, as vidas de duas grandes mulheres separadas por gerações se entrelaçam numa história sobre amor, ambição, família, perda e o incrível poder de se reinventar quando o destino destrói todas as suas certezas.Ally D’Aplièse é uma grande velejadora e está se preparando para uma importante regata, mas a notícia da morte do pai faz com que ela abandone seus planos e volte para casa, para se reunir com as cinco irmãs. Lá, elas descobrem que Pa Salt – como era carinhosamente chamado pelas filhas adotivas – deixou, para cada uma delas, uma pista sobre suas verdadeiras origens.Apesar do choque, Ally encontra apoio em um grande amor. Porém mais uma vez seu mundo vira de cabeça para baixo, então ela decide seguir as pistas deixadas por Pa Salt e ir em busca do próprio passado.Nessa jornada, ela chega à Noruega, onde descobre que sua história está ligada à da jovem cantora Anna Landvik, que viveu há mais de cem anos e participou da estreia de uma das obras mais famosas do grande compositor Edvard Grieg. E, à medida que mergulha na vida de Anna, Ally começa a se perguntar quem realmente era seu pai adotivo

Leitura Romance café -
A irmã da Tempestade 


A garota da vez é Ally, uma mulher forte, sucinta, determinada; poderia afirmar que é a líder dessa irmandade. Apaixonada pelo mar, a jovem seguiu a mesma profissão do pai, sem deixar de lado sua grande paixão eterna, a música. 

Acontece que até os mais fortes têm o seu ponto frágil, e diante da morte do pai, o mundo dela desaba (literalmente). 

Uma vez de volta ao lar, Ally se vê em circunstâncias inimagináveis, a carta destinada a ela pelo pai é deixada de lado. O que Ally pede é apenas um colo, por isso vai à busca de Theo; infelizmente, sem poder prever o quanto ainda teria de ser forte. Esse é um dos pontos críticos do livro, na minha opinião.

Enredado pela história, você persiste devorando as páginas diante das reviravoltas, que em muitas vezes te alegram, mas também te deixam indignado. Então se prepare, não é a toa que esse livro hoje está nas prateleiras dos mais vendidos. 

Ally é um exemplo de força e superação. Muitos leitores certamente poderão se identificar com essa história. Afinal, a vida é cheia de boas e más surpresas, infortúnios que, querendo ou não, a nós é imposto muitas vezes com um enredo inesperado. Quando menos imaginamos somos arrastados da tão agradável zona de conforto e quase sem forças simplesmente desabamos no chão.

Mas como o próprio livro diz:

“Em momentos de fraquezas, você irá encontrar a sua maior força.”


Depois das ondas terríveis, Ally decide embarcar para Noruega. E é lá que vamos conhecer um pouco de seu passado. Entrar na vida de
Anna Landvik, uma camponesa que vivia de modo um tanto simplório em Heddal.

Dona de uma voz única e um talento nato, a jovem é descoberta por Herr Bayer em uma fazenda, cantando para as vacas. Em busca de algo melhor, ela segue com ele para Cristianina (um tipo de escola de música). Com pouco tempo de estudo, ela é escolhida para fazer voz em uma peça (Ibsem, de Peer Gynt), mas com um porém: sua grande apresentação seria atrás das cortinas, emprestando a voz para outra mulher.
E não dá outra, Anna conquista das coxias toda a platéia, e lentamente seu talento ganha renome.

Fazendo agora um apanhado do livro em geral; com Anna, de certo modo, descobrimos de onde veio toda a força de Ally, afinal ela teve a quem puxar. Uma jovem camponesa que humildemente aceitou um papel, de certo modo injusto. Com força e determinação aos poucos conseguiu ganhar fama e se transformar em uma grande cantora de sucesso. No final do livro, você percebe que ambas são fortes sobreviventes, como eu e você.


Bem, para mim que já havia lido A Garota Italiana também de Lucinda, não teve como evitar certa comparação e semelhança nas personagens.

O drama continua presente, e com muito carinho o romance e o suspense não ficam de lado. O livro é viciante, arrisco dizer que melhor que As Sete Irmãs, acredite. Por algum motivo os personagens fortes são os que mais me conquistam.
Nesse romance de Lucinda Riley, nos deparamos com uma beleza única. Narrado também em primeira e terceira pessoa por Ally, somos transportados de modo gentil ao passado. E com isso nadamos de braçadas no país da vez, a Noruega.  

Quanto à capa e à diagramação, a Arqueiro continua fazendo com excelência o que sabe fazer de melhor: trazer aos leitores as melhores experiências tatuadas nas páginas da melhor forma possível.  

Quer um conselho? Mergulhe nessa leitura antes que saia a série nas telinhas. 

Leitura Romance café -
A Irmã da Tempestade


Ordem / Sequência dos Livros :


1. As sete irmãs 

2. A irmã da tempestade

3. A irmã da Sombra

    4. A irmã da Pérola 
     5. A irmã da Lua
      6. Falta Lançar no Brasil
      7. Falta Lançar no Brasil

Um comentário