Como eu era antes de você

Como Eu era antes de você.
Como eu era antes de você
Louisa "Lou" Clark tem 26 anos e é uma mulher hiper extrovertida, a jovem mora com sua família e todos pertencem a uma classe trabalhadora bastante comum.

As coisas para Clark não vão muito bem, a jovem inesperadamente perdeu o emprego e, sem muitas opções, aceitou a vaga que aos seus olhos lhe parecia a mais fácil (logo que ela não tem lá jeito para muitas coisas).


Como eu era antes de voce
Como eu era antes de você

Título Original:
Behind The Door – Como eu era antes de você.
Autor: JoJo Moyes 
Ano: 2013
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Categoria: Romance contemporânea/ Drama
IG: @leituraromancecafe


Sinopse 

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado.
Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.


Resenhando | Como eu era antes de você
.
Estranhamente, ela se surpreende quando descobre que apesar de não ter nenhuma qualificação ou preparação para cuidadora, está contratada (na verdade, sua positividade foi o que conquistou Camila Traynor (mãe de Will), que vê nela uma alegria contagiante, Já que seu filho vive de mal com a vida... Para Will Traynor (um jovem que, no primeiro capítulo, o livro descreve como ficou tetraplégico) viver é muito pior que saborear a tão desejada e serena morte.
No começo não é nada fácil para Louisa, a jovem se vê diante de um homem ranzinza e com certo humor negro(detalhe que amei no livro e principalmente no filme). Desesperada pela grana, a pobre mais parece um ratinho confuso andando pelos corredores de seu trabalho. (Will, devido a sua situação, mora agora com os pais, e isso para um jovem que antes era independente...)

"- Sabe de uma coisa, Louisa? Seria ótimo se alguém, por apenas uma vez, prestasse atenção ao que eu quero. Destruir essas fotos não foi um acidente. Não foi uma tentativa de decoração radical de interiores. Eu fiz isso porque realmente não quero vê-las. Levantei-me. - Desculpe. Não pensei que... - Você achou que sabia. Todo mundo acha que sabe do que eu preciso. Vamos colocar as malditas fotos juntas de novo. Vamos dar ao pobre aleijado alguma coisa para olhar. Não quero ter as porcarias dessas fotos me encarando toda vez que eu estiver na cama até chegar alguém e me tirar de lá. Certo? você acha que é capaz de entender isso?"

Como descrito acima, Will não tem realmente uma vida muito fácil. Ele não perdeu apenas o corpo; seus sonhos, desejos e vontades também foram destruídos naquele acidente.
.
Nos primeiros dias, ela nada mais é que um enfeite prestativo, mas aos poucos algo começa a mudar, depois de algum tempo juntos, a convivência leva os dois a uma gostosa cumplicidade. Louisa entende Will, e sem notar, a presença dele sutilmente passa a ser mais importante que a do próprio namorado (um personagem desnecessário; não vi nenhuma graça nele. O cara é um egocêntrico, chato de galocha no livro e no filme).

Aos poucos, você irá conhecer a família dela, sua irmã, seu pai, que é um amor de pessoa (na verdade a família dela é o máximo). Em alguns momentos, confesso que pulei algumas páginas, achei as conversas dela com a irmã um tanto entediantes e também desnecessárias. Mas tudo bem, continuei firme e forte.
.
.
 Com o passar dos dias, já apegada a Will, Louisa descobre que ele tem um plano, e ao que tudo indica já está encaminhado para o sucesso e execução (literalmente, não nego que me irritei bastante no final desse livro, eu sou uma pessoa que acredito em milagres, poxa!)

Desesperada, Louisa busca as mais encantadoras formas de apresentar para o Will um mundo explêndido. No livro, não sei por que, mas tudo se tornou realmente um drama, os constrangimentos, a agonia dela nas muitas tentativas às vezes frustrantes. Já no filme, não ficou tão pesado, talvez devido à personagem fazer tudo com um sorriso no rosto. 

Eu não chorei como muitos dizem ter chorado, não foi uma leitura impactante; na verdade, eu aprendi bastante e também me indignei vendo o quanto uma pessoa com limitações pode se sentir excluída do mundo. Jojo apresentou questões de acessibilidade que por muitas vezes ignoramos.
.
.
Apesar de detestar o final, tenho que reconhecer o quanto esse tema (suicídio assistido) é interessante. Jamais irei contra uma pessoa que, em pleno vigor mental, decide algo tão egoísta, afinal, as pessoas que ficam sofrem demais, só que no caso dele, a dor de todos não chegava ao menos perto do tormento no qual ele se viu sentenciado.
.
.
Você pode estar se perguntando: E por que fazer a releitura de um livro que não é o seu preferido? Simples: como aceitei um desafio, eu queria resenhar os três volumes, na época que li, não tinha o IG. Sem falar que é um livro pequeno e a linguagem hiper atual.


Ordem / Sequência dos Livros (Trilogia):
1. Como eu era antes de você
2. Depois de você

3. Ainda sou eu

                                                                                      ★★★ 

Nenhum comentário