Depois de você - Jojo Moyes

Depois de você - Leitura Romance Café
Depois de você 

Antes de iniciar a resenha tenho de falar algo muito importante. Este livro entrou na minha lista de desafios, proposta por um IG Literário (Leia um livro da estante que você certamente não pegaria para ler). Acontece que, se não fosse isso, não teria dado seguimento à leitura. O motivo é bem simples, sou uma das apaixonadas por romances (com final feliz), e acho que nem preciso dizer que o primeiro livro dessa trilogia arrebentou comigo. Assim que terminei de ler, tive que voltar ao início do último capítulo e reler, tamanha minha incredulidade, afinal, como já disse: Eu acredito em milagres. Poxa!





Depois de você - Leitura Romance café
Tit. Original: After you
Título : Depois de você
Autor: Jojo Moyes
Ano: 2016
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Gênero: Ficção/Drama/Romance
IG: @leituraromancecafe

SINOPSE
Com mais de 5 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, Como eu era antes de você conta a história do relacionamento entre Will Traynor e Louisa Clark, cujo fim trágico deixou de coração apertado os milhares de fãs da autora Jojo Moyes.Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la. Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.




Como eu era antes de você termina de modo meio trágico, e os fãs como clãs se dividem com vários pensamentos; uns ficaram indignados (como eu, porém também tenho de esclarecer que aceito e até compreendo os motivos que levaram Will ao extremo), outros acharam o final perfeito e banhados por lágrimas fecharam o livro felizes com a sofrida experiência. E para os curiosos: Não, eu não chorei, mas quis rasgar o livro. Com raiva, ele agora mofa junto aos amiguinhos na prateleira kkkk. Vingança! 

Depois de você dá seguimento à história de Lou Clark, divertidamente confusa e agora mais centrada. Sabe a Lou Clark... Não parecia ser ela mesma.
Fato é, como o plot do livro diz:
“Quando uma história termina, outra tem que começar” (acredito que foi isso o que me impulsionou a colocar ele no meu desafio). Se valeu? Vem comigo!

Resenhando - Depois de você.
Não tem como esse livro iniciar de outro modo que não seja o luto de Lou, a jovem depois de receber uma ajuda inesperada e uma carta encantadoramente confortante de Will, decide conhecer um pouco mais das emoções que ele tanto descrevia a ela, ainda preso a seu corpo perdido. 

Pausa - fui enganada no final do primeiro livro, vendo-a no bistrô em Paris sentada relendo a carta de Will, acreditava que com tanta positividade, Louis seguiria seguir em frente, mas não...

"E, no fim das contas, de que adiantava ficar reexaminando nossa tristeza o tempo todo? Era como cutucar uma ferida e se recusar a deixá-la sarar”

A família de Will agora se vê cobrada pela mídia, que inconformada discute o suicídio assistido e cuidam de não dar a eles o tempo de chorar suas dores.  Já Louis consegue, de “certo modo”, se afastar do centro do furacão.

Sabe quando você está perdido e vê que precisa recomeçar, só não sabe como?  Não tem um sentindo certo ou uma direção a seguir, nem ao menos uma mão que aponte?  É assim que ela se vê. O que pude compreender é que Louis quis de alguma forma fugir do luto. Então, nada melhor do que ir morar sozinha em Londres, em um flat, afastada das pessoas ou lugares que, de alguma forma, poderiam trazer de volta as lembranças de Will; Louis consegue um trabalho de garçonete em um pub e ali, pelo que pude perceber, iria enterrar seus dias.  

Só que se a história continuasse assim, seria um tédio; então, ela em um belo dia decide fazer o que faz a maioria daqueles que estão com o coração partido (a menos que seja chocólatra): pronta para chutar o balde, a jovem entra de cara na margaça, e se embriaga (mas como é a Louis, nem preciso dizer que poucas doses foram suficientes), mal sabia ela que isso seria apenas a alavanca dos trilhos que dariam à sua vida um novo percurso.  Entontecida pela bebida após um susto daqueles, ela simplesmente despenca de seu flat.

A partir desse ponto, a Jojo aposta no clichê. Sam Fielding é um paramédico que entende bem as dores de Lou. Devido aos ferimentos, ela precisa voltar para casa de seus pais (mais conhecida como um centro caótico).

“Nenhum de nós segue em frente sem olhar para trás. Seguimos em frente sempre levando aqueles que perdemos.”


Assim que ela chega, todos se preocupam e fica no ar a suspeita: será que a jovem com tamanhas dores não estaria tentando fazer o mesmo que Will?
Rapidamente, ela percebe que nada é o mesmo, sua família passa por mudanças, e a família de Clarke decide encarar as coisas de modo diferente. É compreensível a morte quando vem, deixa na vida dos que ficam a necessidade de recolocar algumas peças no eixo. E todos ao mesmo tempo estão nesse processo.

Para reconfortar o coração de seus pais (hiper preocupados), a jovem entra num grupo anônimo de apoio, que tem como base tratar o luto. Nesse grupo, vamos conhecer novos personagens, rasos porém interessantes e até indispensáveis, já que através das reuniões e entre os desabafos, Louis é confrontada.

Não vou continuar falando do enredo, uma hora ou outra posso dizer o que não deveria. Vamos direto ao assunto: O que eu achei desse livro.

Sinceramente, não sei de fato como pontuar. O primeiro teve uma grande repercussão, e esperar o mesmo desse seria pedir demais, mas fato é que este trouxe uma carga mais profunda de auto reflexão. A autora claramente tem uma mensagem a transmitir e isso torna o livro mais atraente (aos meus olhos).


Assim como no primeiro, você se verá por vezes irritado, a Jojo pelo que pude perceber é bem a típica escritora que por vezes desagrada a gregos ou troianos. Na forma dela abordar, o mundo não pode ser um conto de fadas. Não mesmo. Seu mundo é esse aqui, está acontecendo isso mesmo, e você, como vai reagir a essas circunstâncias? (a Jojo me revelou como reagiria...)


Não posso deixar de elogiar a Louis, essa na minha opinião foi a melhor jogada da autora, que teve muito sucesso (na primeira obra) em construir essa pessoinha encantadora que continua deixando sua marca, porém agora com menos brilho. A forma de ela ainda fazer a diferença na vida da família de Will... O carinho e toda preocupação com os pais (apesar das dores internas), e até a busca pela melhora me deram resquícios de que poderia encontrar a antiga Louis perdida dentro dessa personagem em algum lugar.

Também me alegrei com a leitura por conhecer mais da vida do Will, isso foi meio que reconfortante, acreditem.

Jojo tem uma escrita bastante comum, sem muitos adjetivos ou firulas, a história é centrada, de fácil compreensão e bem ritmada no compasso do primeiro livro. Neste, ela ainda dá liberdade aos leitores, e é você quem vai dizer como chegou ao final da leitura, oras bem ou não tão bem.

Li esse livro em um dia e meio, foi bem tranqüilo. Confesso que em alguns momentos acelerei a leitura, pulando algumas páginas “desnecessárias” (na minha opinião).  Outro ponto que notei (mas isso é pessoal), a autora queria passar uma mensagem e precisava de uma protagonista, para isso ela só tinha a doce e vibrante Louis. Claramente, ela mudou as características da personagem principal com intuito de montar sua história.

A capa seguiu a mesma linha do primeiro livro (fofa), e a diagramação ficou por conta da editora, e claro que estão de parabéns. Intrínseca. Também quero pontuar que, neste livro, você não irá se deparar com capítulos narrados por outros personagens.

No fundo, o livro foi o que eu esperava, nada de diferente, e com algumas coisas forçadas.
Para não terminar com palavras negativas deixo aqui palavras que falaram comigo, nem preciso dizer de quem são:

“Não pense muito em mim... Apenas viva bem. Apenas viva.


Ordem / Sequência dos Livros (Trilogia):


1. Como eu era antes de você 

2. Depois de você

3. Ainda sou eu

 



Jojo Moyes nasceu em 1969 e cresceu em Londres. Estudou jornalismo e foi correspondente do jornal The Independent por 10 anos. Publicou seu primeiro livro em 2002, e desde então dedica-se integralmente à carreira de escritora. Jojo vive em Essex com o marido e o filho.


Nenhum comentário