Mais Forte que o Sol - Julia Quinn

Leitura Romance Café

Este é mais um daqueles romances fofos para você ler em cima da cama no final de semana. O primeiro da duologia irmãs Lyndon (lembram-se da Victoria?), mas tudo bem se ainda não leu “Mais Lindo que a Lua”, isso não irá interferir em nada, te garanto, as histórias são bem diferentes e os personagens nem mesmo se encontram. A nossa protagonista agora é a irmã caçula de Victória, que em algum ponto deste livro menciona que está viajando.



Mais Forte que o Sol 

Título Original: BRIGHTER THAN THE SUN 
Título: Mais Forte que o Sol
Autor: Julia Quinn
Ano: 2018
Editora: Editora Arqueiro
Páginas: 228
Categoria: Romance

                       IG: @leituraromancecafeSinopse 

Sinopse“Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea.” – Jill Barnett, autora de Tudo por um beijoConsiderada a “rainha dos romances de época” pela Goodreads, Julia Quinn já atingiu a marca de 10 milhões de livros vendidos.Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Elllie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento.Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu.Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro.No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal...
   Este é mais um daqueles romances fofos para você ler em cima da cama no final de semana. O primeiro da duologia irmãs Lyndon (lembram-se da Victoria?), mas tudo bem se ainda não leu “Mais Lindo que a Lua”, isso não irá interferir em nada, te garanto, as histórias são bem diferentes e os personagens nem mesmo se encontram. A nossa protagonista agora é a irmã caçula de Victória, que em algum ponto deste livro menciona que está viajando.

Vamos para a resenha?

Imaginem só que situação!... Ou você se casa até os 30 anos, ou você perde sua fortuna. Isso é o que Charles precisa decidir, afinal, os dias não esperam.

Ellie também não está numa situação confortável, ou ela escolhe um pretendente ou terá que aceitar a escolha feita por sua futura madrasta, um ser odiento.

O destino então dá aquele empurrãozinho, e Charles literalmente cai do céu.

– A senhorita é uma moça de língua afiada. (Charles)– Sim, eu sei – disse ela com um sorriso irônico. – Por isso sou uma solteirona. (Ellie).

Convenhamos que a sorte sorri para Ellie; diante de seus olhos está o conde de Billington, um tanto irritante, embriagado, mas quem disse que tudo tem de ser perfeito? Sem falar que mil vezes ele a aceitar um dos candidatos da lista de sua megera madrasta, afinal, estes sim são detestáveis.  

Os termos do casamento é um ponto chave da história, Ellie avidamente impõe suas condições nessa negociação, deixando Charles um tanto assustado, mas não enganado, a jovem é hiper “prafrentex”, rsrsr.

O casamento, por conveniência, acontece, mas a consumação dele (para nossa agonia) não. Charles, com a convivência, rapidamente se vê envolvido por Ellie, e começa a cogitar essa possibilidade de tê-la como mulher, mas a jovem de temperamento forte resiste bravamente (quer dizer... até onde ela dá conta).

– Você tem gosto de mel – disse ele com a voz rouca, mordiscando o canto de sua boca. – Seu gosto é diferente de tudo, de todos. (Ai, ai... tão romântico)

Então, de volta à razão. Com personagens determinados e bem trabalhados, Julia explora novamente aquele romance doce de época. O cabo de guerra e a resistência de ceder entre eles tornam a história divertida, chegando a arrancar alguns sorrisos discretos, que sem percebermos estamos dando sozinhos, para nós mesmos, diante do nada.

Não tem muito que acrescentar, principalmente para as leitoras dessa grande escritora, que permanece com uma escrita leve, de fácil compreensão, e em alguns pontos divertida. Um roteiro fluido, bom de se ler. Julia conseguiu novamente construir o par perfeito, o homem certo ao lado da garota certa.

A curiosidade é que você pode não entender por que um livro publicado em 1998 somente agora chega ao mercado brasileiro, isso é fácil. Julia ganhou uma legião de seguidoras e tem venda garantida. Mas para as apaixonadas e fãs de carteirinha, não fiquem preocupadas quanto à aquisição dessa obra, porque o livro não deixa a desejar em nada, e segue fielmente o padrão da escritora.

Um comentário

  1. Olá!

    Eu AMO esse livro da Julia. Ele é o segundo da duologia Irmãs Lyndon e o primeiro foi uma grande decepção.
    Graças a Deus (e à Julia rs) o segundo fez tudo valer a pena <3
    Julia é uma diva dos romances de época! Impossível não amar <3

    Grande beijo,
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir