Mademoiselle Sophie - Cristiane Peixoto Queiroga Ano: 2018


É com muita alegria que hoje venho compartilhar com vocês a respeito de uma doce leitura que fiz recentemente. Todos que me conhecem sabem que sou apaixonada por romance, sendo de época então...



Título Original: Mademoiselle Sophie
Autor: Cristiane Peixoto Queiroga
Ano: 2018
Editora: Editora Buqui
Páginas: 212
Categoria: Romance de época
IG: @leituraromancecafe
 


Como uma fã da escritora Jane, já li Orgulho e Preconceito umas 3 vezes, agora o filme... Perdi a conta. Acontece que essa leitura, não sei por que motivo, me trouxe lembranças dessa história. Orgulho e Preconceito se destacou pelos diálogos muito bem elaborados e uma escrita quase que poética. Mademoiselle Sophie vem claramente com uma proposta diferente, que pode alcançar aqueles que até o momento não tinham se identificado com esse gênero. 

 A linguagem é mais atual e ainda assim nos remete a um romance inspirado devidamente dentro dos costumes de 1891, na bela e aconchegante França, e para ser mais precisa, na região Provença-Alpes-Costa-Azul. Logo de cara, a autora descreve o clima agradável que povoa a atraente região. Com relação a essa descrição, também vale ressaltar que ela se atém aos personagens mais importantes, e não chega a ocupar um espaço, digamos, mais que necessário. 

   

Sophie é a mais velha das três filhas de Antoine e Valérie, e apesar de ela ser temperamental e dramática, contrapõe a balança com sua alegria ímpar. A neta do grão-duque de Vanceslois foi criada por uma família amorosa e religiosa, que, dada às boas condições financeiras, deu a ela uma boa educação. A jovem possui todas as habilidades e requisitos para agradar até mesmo um Mr. Darcy, acreditem. O seu grande objetivo de vida aos 18 anos não foge à regra das de suas amigas, ainda é o de se casar. 

Depois de conhecermos no primeiro capítulo os projetos e vida e como vive a vibrante Sophie, no segundo, nos é apresentado o jovem herdeiro do Marquesado, filho de Menon de Mauriac, marquês de Languedoc-Roussillon, Lohan Thierry Carrère Mauriac. Lohan e seu primo René se preparam para ir a um baile de debutantes da filha mais nova de Baudelaire, seu primo está com ótimas intenções, pretende apresentar a ele a amiga de Vivianne Baudelaire (aniversariante). Acontece que essa amiga é a espontânea Sophie, que por um acaso logo de imediato chama a atenção dele, ela por sua vez não perde tempo em flertá-lo, claro que ele se diverte horrores com isso. 

O cenário passa a ser enfeitado pela neve branca que se compacta sobre as casas e praças, dando à leitura um ar ainda mais aconchegante e elegante.  Paris, sempre Paris.

- Pronto! Quem precisa de diamantes no pescoço? Sophie tem algo melhor... rubis na face! 

No dia seguinte ela se anima bastante ao contar para sua mãe a respeito do belo pretendente. A mãe pondera, mas nada pode tirar o brilho radiante gerado pela doce esperança. 

Discorrendo na leitura, os muitos personagens vão surgindo, idas e vindas nas glamorosas festas, o casal propositalmente acaba se encontrando, e a cada encontro o que sentem um pelo outro toma força e intensidade. Já rendido, Lohan não só envia flores à mãe de Sophie, como lhe pede a autorização para visitar a família e eventualmente passear com ela no jardim, claro que acompanhados por uma dama de companhia; ainda assim, o beijo é inevitável. 

O desejo entre eles a cada página cria vida e forma, não fugindo do recatado nem ao menos menosprezando o lado romântico, meio que poético, apreciado pelos leitores deste gênero. 

A história discorre apresentando outros muitos fatos que podem dificultar esse romance, foi nesse ponto que me perguntei se por um acaso este não seria o primeiro livro de uma série. E sim, a autora Cristiane nos confirmou que a sequencia em breve será lançada. Mas não se preocupem com isso, já deixei bem claro no IGTV que o final vai te deixar com um sorriso no rosto. 

A narrativa é feita pela terceira pessoa, que como um deus presente em todo instante, descreve os sentimentos de cada personagem e também as características principais, nada enjoativo; ao contrário, asseguro dizer que na medida certa. 

Alguns pontos da história não fugiram à regra dos livros de época: o recato e os costumes são um ponto de descrição presentes, e o enredo sem muitos altos e baixos focado no romance. Ao meu ver, isso atenua a leitura, mantendo-se constante. Para os que buscam algo tranquilo e claro, este livro pode te agradar bastante. Algo que muito me agradou é que esse recado mencionado, não os impediu de viver um ardente romance. Adoro!!! Em vários momentos os suspiros está garantido. Rssss.


 “- Você é uma bela jovem, Sophie. Eu precisaria ser cego para não perceber sua beleza.”

A diagramação e impressão do livro ficou por conta da Editora Buqui, e não fugiu à regra dos livros que seguem esse gênero. Amo folhas amareladas com um espaçamento que dá aos olhos um agradável conforto. Eu, particularmente, não conhecia o trabalho dessa editora e gostei muito do que eles fizeram, principalmente à capa, que é de uma elegância ímpar. 



Sei que muitos leitores não gostam de livros de época, devido à linguagem formal. Esse tipo de fala, para os que não estão habituados, pode parecer dificultoso.  Porém, nesta leitura, você terá todas as descrições, sentimentos e cenários antigos narrados em uma linguagem praticamente atual. Isso quer dizer que suas desculpas para se desafiar a conhecer esse gênero acabaram. A leitura é muito rápida, quando menos espera já acabou. 





“Sophie sabia que não era apropriado “bater papo” com o cavalheiro enquanto estivesse dançando; houvesse uma conversa esta deveria ser breve. Mas ela, embora obedecesse a essas regras da sociedade, continuou com a conversa de forma discreta e mantendo a distância. Afinal, quem poderia calar Sophie.”



Lançamento do Livro Mademoiselle Sophie

O lançamento do livro Mademoiselle Sophie de autoria de Cristiane Peixoto Queiroga, aconteceu recentemente e  contou com   bate-papo e sessão de autógrafos com a autora  e reuniu amigos e familiares

A obra se passa no século XIX e a personagem tem uma crença inabalável no amor. Porém,
num baile, ela conhece o galanteador Lohan Mauriac, o futuro marquês de Languedoc. De
imediato reconhece sua alma gêmea, mas levá-lo ao altar não será algo fácil.



11 comentários

  1. confesso que leio pouco romance/romance de época, mas essa obra me deixou fascinado e já desejo conhecer essa história na íntegra. Anotei a dica para ler futuramente.

    ResponderExcluir
  2. Amo romances de época! Já quero ler esse ! Beijos

    ResponderExcluir
  3. Obrigado por postar, adoro ler, trabalhei mais de 15 anos como auxiliar de biblioteca.Romances são ótimos, mais leve para ler.Sempre bom lembrar que ler é tudo de bom.Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  4. A história parece bonitinha e bem levinha, um bom romance para distrair a mente.

    ResponderExcluir
  5. adorei essa releitura de orgulho e preconceito, às vezes não existe nada melhor do que um romance pra nos distrair

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro romances, gosto da Jane, e se a autora tem um estilo parecido, já quero ler. Aprecio principalemte por ser romance de época. Uma ótima dica de livro para as fãs do estilo :) Abraços

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bem? Quem não gosta de um bom romance de época não é mesmo? As capas, a ambientação, os personagens, além de criar todos aqueles cenários em nossa mente. Sou fã da Jane Austen e gosto muito de Orgulho e Preconceito, um dos meus favoritos. Esse ano estou querendo conhecer outras autoras como a Julia Quinn mas não tenho nenhum livro dela ainda rs Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  8. Nossa, já tô até imaginando e suspirando aqui com esse cenário. Também amo romances de época, embora tenha lido muito pouco. Vou anotar esse aqui , porque de verdade me interessei por essa obra. Essa capa tá um arraso, não conhecia nem a editora, nem a autora. Bjusss

    ResponderExcluir
  9. Tenho lido poucos livros de época, mas quero reverter esse hábito. Gostei muito do que foi apresentado. Amei sua resenha.

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    Tenho lido bastante a respeito desse ig e fico cada vez mais curiosa.
    Sou apaixonada por um bom romance de época, confesso que faz algum tempo que não leio um livro do gênero, mas você ter citado que a autora vem com uma proposta diferente só me deixou mais animada ainda para realizar a leitura.

    www.pactoliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Essa obra deve ser de uma leitura fascinante, para quem gosta do estilo literário é um prato cheio. Excelente dica.

    ResponderExcluir